Bolsonaro decola mesmo?

22 JAN 2019
22 de Janeiro de 2019

O Brasil atravessa uma fase de transição muito importante. Jair Bolsonaro venceu as eleições e começa a trabalhar contando com a confiança do povo para tirar o país de uma situação dramática. O nosso rombo fiscal é de R$ 139 bilhões, ou seja, estamos gastando muito mais do que se arrecada, sendo que uma parte do que se arrecada também tem ido para a corrupção! E, a cada dia, falta mais dinheiro para a Educação, Saúde, Segurança Pública, etc., etc.. Os Estados, incluindo (e principalmente), Minas Gerais estão à beira da falência, com os salários e o 13º atrasados dos seus servidores, obrigando o governador Romeu Zema a “bancar o artista” para atravessar esta primeira fase de extrema dificuldade. A exemplo de Bolsonaro, as intenções de Zema são as melhores possíveis, restando-nos confiar e aguardar!

Um dos itens mais importantes do governo Bolsonaro e que representa boa parte do rombo fiscal é a reforma da Previdência. Nos próximos dias esta verdadeira encrenca começa a ser enfrentada, com o reinicio em 1º de fevereiro do Senado e da Câmara. Estas duas casas tiveram boa renovação, o que nos permite prever atuações mais dignas e patrióticas, ao contrário do que vinha acontecendo, que era uma verdadeira vergonha.

Entretanto, eu acho que para o governo conseguir uma boa e necessária reforma da Previdência, vai ter quer vencer segmentos corporativos importantes, principalmente dos funcionários públicos da União que envolvem, inclusive, os militares e os do judiciário. Não vai ser fácil diminuir o monte de vantagens, em alguns casos escabrosos, de alguns segmentos que vem usufruindo de muitas benesses. A “turma privilegiada” vai pressionar de todas as formas o Executivo, os deputados e Senadores para não perder as inúmeras vantagens. Então, se não houver uma boa reforma da Previdência, o povão vai continuar “comendo o pão que o diabo amassou”!

Voltar

Faça a sua Utilidade Pública  e  Seu Apoio Cultural

3773-3700 / 3772-1086